quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Leucismo

Estamos a passar dias de tempestade, com ventos fortes e ondulação de 4-5 metros na costa. Estas condições meteorológicas, por vezes, fazem com que algumas espécies se aproximem mais da terra. Embora o tempo não estivesse muito convidativo, na Terça-feira peguei na câmera e nos binóculos e fui até à praia na expectativa de encontrar algo interessante. Registei a presença de aves anilhadas nas Ilhas Britânicas, Alemanha e Escandinávia. Mas o mais inesperado estava para acontecer. Primeiro a presença de uma nova Gaivota-polar (Larus glaucoides) que longamente tratou da plumagem como se estivesse a preparar as asas para continuar viagem… depois, relativamente próximo, uma outra que inicialmente, parecia uma Kumlieni (?) mas que, em analise posterior com a ajuda do amigo Inocêncio Oliveira, concluí que se trata de uma Gaivota-de-patas-amarelas leucística (Larus michahellis ).

Nem sempre aquilo que parece, é! 


 Larus glaucoides
 Larus glaucoides
  Larus glaucoides


 Larus michahellis leucística
 Larus michahellis leucística
 Larus michahellis leucística
Larus michahellis leucística

O que é Leucismo?
O leucismo é uma particularidade genética devida a um gene recessivo, que confere a cor branca a animais geralmente escuros.
O leucismo é diferente do albinismo : os animais leucísticos não são mais sensíveis ao sol do que qualquer outro.
Pelo contrário, são mesmo ligeiramente mais resistentes, dado que a cor branca possui um albedo elevado, protegendo mais do calor.