sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

27 years, 7 months and 25 days - Irish gull


27 anos, 7 meses e 25 dias – Gaivota irlandesa


 Praia do Paraíso (Matosinhos) -1 - 02/01/2016

Quando vejo uma gaivota apenas com a anilha metálica nas patas fico um pouco decepcionado porque nem sempre consigo ler o código completamente. Obter as fotos suficientes que permitam ler a anilha é um trabalho difícil, paciente e nem sempre coroado de êxito.

Tenho tido algumas decepções porque, às vezes, por faltar apenas um digito o trabalho tido não tem valor nenhum, o que é frustrante. Daí que, por vezes eu não me preocupe em obter fotos que permitam montar as imagem necessárias para ler a anilha completamente.

Todavia, quando se trata de aves adultas, que me permitem aproximar e rodar á sua volta, não perco a oportunidade.

É o caso desta gaivota.
 Praia de Matosinhos -2- 07/12/2017

Mas, vejamos um pouco da história de vida desta gaivota:

Anilha metálica – GH82607 (BTO)
Espécie – Gaivota d’asa escura (Larus fuscus)
Origem - Focarrig, Cape Clear Island, Cork, Irlanda
Idade – Anilhada, ainda no ninho, em 16/06/1991

Quando registei este individuo pela primeira, vez no dia 2 de Janeiro de 2016, ela estava a 1137 kms (em linha recta) do local onde nasceu e tinham passado 8.966 dias (24,5 anos) depois que foi anilhada.

Depois do registo em 2016, voltei a registá-la em 2017, em 2018 e agora em 2019.  

 Praia de Matosinhos – 3- 11/12/2018

 Como disse anteriormente, sobre a dificuldade de obter registos destas anilhas, confesso que é um recorde para mim, conseguir ler uma anilha metálica, durante quatro anos seguidos.

Porque será que isto acontece?… será que já me conhece e não se sente ameaçada com a minha presença? será que é ela que vem ao meu encontro para que registe que ainda está viva???…


Porque já tenho um “carinho” muito especial por esta ave pensei dar-lhe um nome de algo comum aqui no Norte de Portugal e a Irlanda. E o nome escolhido foi… Celta (= Celtic)!
 Porto de Pesca de Leixões (Matosinhos) – 4 - 11/02/2019

No último registo ela completou 27 anos, 7 meses e 25 dias. É uma idade razoável mas se considerar-mos que o recorde de longevidade da espécie é de 34 anos e 10 meses (anilha GM21509-GB&Ireland, morreu baleada), vamos ter que nos encontrar ainda por mais uns anos...


 O registo de anilhas metálicas deve ser feito no Portal da Euring (link)



Agradecimento:
- A BTO – British Trust for Ornithology pela informação recebida.




sábado, 9 de fevereiro de 2019

Larus delawarensis (II)


Gaivota-de-bico-riscado no Estuário do Rio Douro



Em Fevereiro de 2017 publiquei (aqui) um artigo sobre esta espécie e, presumo, sobre este mesmo individuo.



Recentemente, registei novamente a presença deste individuo no Estuário do Rio Douro.
O motivo que me leva a deduzir tratar-se do mesmo individuo é de carácter comportamental dada a forma familiar como a ave se comporta e movimenta neste local.



Todavia, este ano, fiquei a conhecer melhor esta ave graças a um pormenor que me irá permitir identificar, no futuro, se é o mesmo individuo. O pormenor que o distingue é que quando grasna, não se ouve qualquer som. Ou seja, caso não seja uma afonia temporária, este individuo é completamente “mudo”.





O tempo confirmará, se é o mesmo individuo!



                                                                           Video (0:54)




sábado, 2 de fevereiro de 2019

Seagulls in the Douro River Estuary



Gaivotas no Estuário do Rio Douro


Estuário do Rio Douro (margem Norte)


No Estuário do Rio Douro há uma enorme quantidade e diversidade de aves que escolhem este local para a invernada ou como ponto de passagem nas suas longas rotas migratórias.
Estuário do Rio Douro

Este é o local escolhido por várias espécies para viver no Inverno, com realce para os Corvos-marinhos (Phalacrocorax carbo), as Garças (Ardea cinerea e Egretta garzetta) e Gaivotas de vários géneros.

De todas as gaivotas invernantes, destaca-se a enorme colónia de Larus ridibundus (Guincho-comum) e Larus melanocephalus (Gaivota-de-cabeça-preta).
Larus ridibundus (Guincho-comum)                                      Larus melanocephalus (Gaivota-cabeça-preta)

Nos locais onde habitualmente gaivoteio (Gullwatching) não é frequente observar a presença de muitas aves destas espécies, daí o reduzido numero de aves anilhadas que até agora eu registei.

Sempre vi na área do estuário um enorme potencial de apoio cientifico no estudo das espécies que por aqui passam. Principalmente, para a identificação de raridades e a contagem e registo de anilhas das aves migratórias.

A área ocupada pela Reserva Natural Local do Estuário de Douro é fundamental para quem pretende fazer algum trabalho de leitura de anilhas na região envolvente do estuário.
Por se tratar de uma Área Protegida, em que o objectivo principal é criar um refúgio para protecção das aves, todas as actividades devem ser desenvolvidas com cuidado especial.

Equacionando todos os factores de protecção deste meio ambiente, com o apoio do Engº Paulo Faria (Técnico Responsável da Reserva), vamos incrementar um trabalho, que ele vinha desenvolvendo sozinho (com algumas limitações), com o objectivo de identificar através da anilha; a espécie e sua origem, provável rota migratória, previsão do tempo de permanência no estuário e outros dados que nos permitam melhorar o conhecimento sobre as aves migratórias que nos visitam.
Para a prossecução deste objectivo vamos procurar estreitar o relacionamento com todos os lideres europeus dos Projectos ou Centros emissores de anilhas coloridas permutando informação sobre as aves registadas.

Em consequência desta iniciativa vimos partilhar duas aves (entre outras registadas) de diferentes espécies e origens.
R[ZHL4]-Larus melanucephalus (imatura)
Dados conhecidos desta ave:

- Anilha colorida: R[ZHL4] – Anilha vermelha com o código alfa-numérico branco
- Espécie – Larus melanocephalus (Gaivota-de-cabeça-preta)
- Local de anilhagem: Šenov, Volensky fishpond, Ostrava, Republica Checa
- Idade e Data da anilhagem: Ainda pinto em 02/06/2018
- Líder do Projecto: Josef Chytil chytil@prerovmuzeum.cz
- Anilhador: M. Haluzik
- Data de observação na Reserva: 26/01/2019 (14:08) 

- Distância da colónia: 2.305 km (em linha recta)
o0O0o

Y[EUJL]- Larus ridibundus (adulta)

Dados conhecidos desta ave:

- Anilha colorida: Y[EUJL] – Anilha amarela com o código alfa preto
- Espécie – Larus ridibundus (Guincho-comum)
- Local de anilhagem: Hensies (Marais d'Harchies), Hainaut, Bélgica
- Idade e Data da anilhagem: Ainda pinto em 29/05/2015
- Líder do Projecto: Tim Audenaert timaudenaert@hotmail.com
- Anilhador: Simar Jérémy
- Data de observação na Reserva: dias 01 e 26/01/2019 (14:01) 
- Distância da colónia: 1.409 km (em linha recta)

Curiosidades migratórias:
Sendo os primeiros registos fora das colónias de origem não é possível conhecer o percurso migratório
destas aves.

Agradecimento:
- A  Tim Audenaert  (Bélgica) e a Josef Chytil (Rep. Checa) pela informação disponibilizada.




quinta-feira, 24 de janeiro de 2019

Germany Gulls [Larus canus/Hambourg]


Gaivotas da Alemanha (Larus canus / Hamburgo)
Larus canus (imatura)
Embora não seja considerada uma raridade em Portugal, a Larus canus (Gaivota-parda ou Famego) é uma Invernante “pouco comum”.
É uma gaivota de tamanho médio que nidifica principalmente na Escandinávia, Finlândia e Rússia. 
Na Europa Central reproduz também em pequenas colónia.
No Inverno a espécie dispersa-se pela Europa Central sendo o território de Portugal continental o limite a sul da área normal de invernada.
Como já referi, esta espécie é pouco abundante ocorrendo mais frequentemente na costa norte portuguesa sendo, na maioria,
de idade imatura as aves observadas. 
Também é muito pouco frequente registar aves com anilhas coloridas. Nos últimos quatro anos registei apenas duas aves; 
uma vinda da Noruega (https://www.flickr.com/photos/walkinportugal/46840511701/ ) e outra agora de origem alemã.
A708 – Área de criação
A ave que serve de tema a esta publicação é uma “Gaivota urbana” nascida no telhado de um edificio no interior da cidade de Hamburgo. 
No inicio deste ano, registei na Reserva Natural do Estuário do Douro a presença de um individuo anilhado pelo Projecto de Hamburgo.
A708 – Ainda pinto

Dados conhecidos desta ave:
- Anilha colorida: W[A708] – Anilha branca com o código alfa-numérico preto: A708 
- Espécie – Larus canus
- Local de anilhagem: Telhado plano, Hammerbrookstr. 90, Klostertor, Hamburg, Alemanha
-  Idade e Data da anilhagem:  Ainda pinto em 25/06/2018
- Projecto: l_canus@ornithologie-hamburg.de 
- Anilhador: Andreas Zours
- Data e local de registo em Portugal: 02/01/2019 (15:50) - Reserva Natural do Estuário do Douro 
- Distância da colónia: 2.084 km
A708 - 02/01/2019-RNLED
Para ter uma ideia da singularidade desta observação, consulte o mapa da expansão migratória que mostra todos os 
locais na Europa, com recuperações registadas deste Projecto,
aqui - https://www.google.com/maps/d/viewer?mid=1O8PvLc_Kfto_4D_BK7EtUbuFKtI  
Facto interessante é ser este o primeiro registo na Península Ibérica de Larus canus oriundas desta colónia.

Segundo informação de Andreas Zours sobre outras Larus canus alemãs registadas em Portugal, existe um registo em
Janeiro de 2014 de uma ave de Kiel (o primeiro de Kiel, Schleswig-Holstein) e, anteriormente, 
9 aves do Ringing Center Helgoland entre 1930 e 1958 (!), cinco delas foram baleadas por caçadores.

Agradecimento: 
- A Andreas Zours e Bernhard Kondziella  pela informação disponibilizada e a Torsten Demuth pela cedência das fotos





















quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

Finland Gulls [3] – Larus ridibundus


Gaivotas da Finlândia – Larus ridibundus (*)


M[ST281940]-2-17.12.2018


Estamos a atravessar uma época do ano em que as aves migrantes estarão estabilizadas no local de invernada.
No Inverno, as gaivotas de espécies provenientes do noroeste da Europa dispersam-se pelas costas do sudoeste europeu, do noroeste africano, dos mares Mediterrâneo, Negro e Cáspio, e da Península Arábica até ao noroeste indiano.
Como no Norte de Portugal o Inverno por vezes também é um pouco rigoroso e escasseia a comida, nesta altura do ano, não é frequente observarmos aqui muitas aves de espécies vindas destas origens.

M[ST281940]-2-17.12.2018

Todavia, se durante o Inverno visitarmos com alguma regularidade os nossos habituais locais de observação de aves marinhas, vamos constatar que algumas destas aves passam o Inverno persistentemente na nossa zona.
A prova disto é que, ano a ano, vamos registando a presença de algumas aves que por aqui permanecem quase todo o Inverno.
A ausência de grandes quantidades de gaivotas com anilhas coloridas, permite-me dedicar mais atenção às aves portadoras apenas de anilhas metálicas.


É o caso do post anterior dedicado a uma gaivota-d’asa-escura (Larus fuscus) Irlandesa anilhada há 27 anos e que venho registando a sua presença desde 2016 e deste Guincho-comum (Larus ridibundos) originário da Finlândia.

Em 08.02.2017 registei, pela primeira vez e neste mesmo local (Praia de Angeiras, Matosinhos), este individuo que voltei a registar agora em 17.12.2018.


M[ST281940]-1-08.02.2017


Esta ave foi anilhada no dia 22.06.2010 com a anilha metálica nº. ST281940, por Pekka Alho, em Askainen, Varsinais-Suomi, Turku-Pori, Finland.

Askainen > Angeiras = 2969 Kms (em linha recta)

* - Existem alguns guias de aves onde esta espécie aparece com o nome Chroicocephalus ridibundus. Todavia, nem todas as autoridades adoptam esta designação. A adopção do género Larus é uma recomendação da AERC que pode consultar aqui.

>>>|||<<<


Agradecimento:
A informação do histórico desta ave foi disponibilizada por: LUOMUS Ringing Center (University of Helsinki)





ooo<<<>>>ooo



sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Irish seagull ringed 27 years ago


Gaivota Irlandesa anilhada há 27 anos


02/01/2016


Não é todos os dias que observamos uma gaivota com 27 anos e meio de vida.

Acontece que na Terça-feira dia 11, voltei a registar a  presença desta velha amiga nas praias de Matosinhos.
Alguns dados da sua história de vida:
-Espécie: Larus fuscus (Gaivota-d’asa-escura)
-Idade: Anilhada, ainda pinto, em 16/06/1991;
- Local de nascimento: Focarrig, Cape Clear, Cork, Irlanda
-Anilha:  M[GH82607] (BTO-British Museum-London)

07/12/2017


Os meus registos, em 3 anos consecutivos, de observação deste individuo no concelho de Matosinhos:
- 02/01/2016 – Praia do Paraíso
- 07/12/2017 – Praia de Matosinhos
- 11/12/2018 – Praia de Matosinhos
11/12/2018

Este novo registo permite deduzir duas coisas;
1 -  Parece ter eleito as praias de Matosinhos para passar o Natal;
2 – Talvez pela idade está perfeitamente humanizada pois assume calmamente a minha presença permitindo que eu circule ao seu redor para obter fotos que me permitam ler a anilha posteriormente (talvez por isso eu tenha conseguido ler a anilha nos últimos 3 anos).

Nota:
Embora os 27 anos e 6 meses seja uma idade considerável, o record de longevidade conhecido de uma ave desta espécie, pertence à gaivota com a anilha metálica GM21509, também do Projecto BTO, com 34 anos e 10 meses.
Cape Clear Island > Matosinhos = 1.143 km (linha recta)




Agradecimento:
- à BTO-British Trust for Ornithology ( https://www.bto.org ) pela informação prestada.



domingo, 25 de novembro de 2018

Denmark Gulls


Gaivotas da Dinamarca

BW[V.XL5]
Nas minhas saídas à Praia de Matosinhos durante o mês de Outubro passado, registei a presença de 8 aves Larus fuscus do projecto dinamarquês liderado pelo Kjeld Tommy Pedersen  (Natural History Museum of Denmark). 


BW[V.87Z]

Este Projecto utiliza anilhas azuis com o código alfanumérico branco iniciado pela letra ‘V’ separado dos outros dígitos por um ponto (.).

Alem da espécie Larus fuscus, algumas destas anilhas também são usadas em gaivotas das espécies Larus argentatus, Larus cachinnans e Larus michahellis.

Embora em numero muito reduzido, tenho registado também algumas aves anilhadas na Suécia, com cor e códigos similares, mas com anilhas metálicas de Estocolmo (o acompanhamento destas aves é também da responsabilidade do Kjeld T.Pedersen) .


BW[V.62Y]

Com excepção de um individuo adulto, a BM[V.4H5] as aves eram todas imaturas nas suas primeiras viagens migratórias e, naturalmente, com uma história de vida muito recente.

BW[V.4H5]

No quadro abaixo poderão consultar mais informação sobre as aves observadas. Todavia, relativamente a alguns indivíduos, a informação está incompleta porque aguardo ainda a informação do Centro de Anilhagem.


Aves registadas em Outubro
anilha
Local onde foi anilhada
Data anilha
link
B[V.4H5]
aguarda informação

B[V.13F]
Langli, Varde
28/06/2017
B[V.20X]
aguarda informação

B[V.34X]
aguarda informação

B[V.37Z]
aguarda informação

B[V.62Y]
Langli, Varde
27/06/2018
B[V.87Z]
Hirsholm, Frederikshavn
06/06/2018
B[V.XL5]
Hirsholm: Stålhage (c8), Frederikshavn
07/07/2018

Agradecimento:
- a Kjeld T.Pedersen pela informação fornecida.