sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Iceland Gulls (4)

Gaivotas da Islândia (4)


BW[YM23]-19.12.2017

A Praia de Matosinhos tem na Larus fuscus graellsii com a anilha PN[P250] uma invernante habitual pois, há mais de 10 anos, que escolheu este local para passar o Inverno. Aliás, já no ano passado tive oportunidade de escrever aqui sobre a sua presença. (veja aqui)

Larus fuscus graellsii PN[Y250]


Todavia, hoje a minha atenção vai para a Larus fuscus graellsii portadora da anilha com o código alfanumérico BW[YM23] a propósito do ultimo avistamento que registei neste mês, dois anos depois do meu registo anterior em 2015.




- Especie – Larus fuscus graellsii
- Anilha -       BW[YM23]  
- Anilhador - Gunnar Thor Hallgrimsson
- Idade quando anilhada: Adulta (4cy+)
- Data e local da anilhagem – 29.05.2010 – Sandgerði,Gull – Islândia

                         Quadro de observações anuais
ANO
JAN
FEV
MAR
ABR
MAI
JUN
JUL
AGO
SET
OUT
NOV
DEZ
*
2010




ring




1


2
2011










1

1
2012











1
1
2013








1

1

2
2014











2
2
2015


1







3

4
2016


1







1

2
2017











1
1

Islândia
Portugal
Irlanda
Inglaterra

Local dos avistamentos:
- Islândia - Sandgerði
- Irlanda – Wexford
- Inglaterra – Cornwall (2x)
- Portugal – Monte Gordo (1x); Matosinhos (3x); Quarteira (2x) Eirol (2x) Vagos (1x) Espinho (1x) e Mira (1x)

Observadores:
- Islândia - Gunnar Thor Hallgrimsson (ringer)
- Irlanda - Tony Murray
- Inglaterra - Peter Roseveare; Tony Blunden e Mark Grantham
- Portugal – Peter Rock; Derick Hiemstra; Michael Davis; Tim van Nus; Pedro Moreira; Bernd Hälterlein; Manuel Petiz e José Marques 





Considerando os locais onde existem registo da sua observação, podemos desenhar a provável rota migratória que esta gaivota percorre. A distância, em linha recta, entre o local de nidificação na Islândia e o ponto mais a Sul conhecido, no Algarve, são 3423 kms.


A analise da rota migratória deste individuo leva-me a crer que a viagem não termine na Península Ibérica mas que se prolonga até ao continente africano. Aguardemos que um dia algum registo de observação em África venha a confirmar a minha opinião.



Agradecimento:
- A Guðmundur A. Guðmundsson - Icelandic Bird Ringing Centre